Perguntas frequentes

Desenhando uma linha direita entre Lisboa e Nova Iorque, encontrará o arquipélago dos Açores praticamente a meio do Atlântico. O arquipélago está dividido em 3 grupos, e no grupo central situa-se a ilha do Pico, encontrando-se a vila das Lajes na sua costa sul. Para saber mais sobre os Açores
Infelizmente o único meio de transporte é o avião, o mais poluente, pois não existem ligações marítimas de passageiros. Duas companhias aéreas ligam as ilhas ao continente: SATA INTERNACIONAL e TAP Portugal. O mais simples será dirigir-se a uma agência de viagens.
Se chegar tarde e partir cedo, a situação mais frequente, o mais simples é dormir perto do aeroporto, num hotel sem charme, mas que tem a vantagem de estar a menos de 200m do terminal.

Se preferir um hotel na cidade, o Hotel AS Lisboa é um bom compromisso, mesmo sem muito charme, mas bem localizado, logo à saída do metro da Alameda, ou 5km em táxi até ao aeroporto.

As Lajes do Pico é hoje um dos melhores locais de observação de cetáceos no mundo, devido à quantidade e à diversidade das espécies que se podem encontram. Distante da agitação dos outros portos açorianos onde é possível embarcar para observar baleias e golfinhos, aqui estamos bem mais perto das zonas de observação: 10 minutos em média, enquanto são necessários mais de 30 minutos desde a Horta, Madalena ou Ponta Delgada. Afastados destes últimos portos, encontramos poucos barcos, e assim os animais são menos incomodados, deixando-se aproximar mais serenamente. Atrás desta pequena vila branca virada para o mar, a decoração terrestre é dominada pela imponente montanha do Pico. A tradição não está adormecida: não é raro cruzarmos com as antigas canoas baleeiras à vela, treinando para as regatas de fim-de-semana. Também a arquitectura da vila recorda os portos baleeiros da costa leste dos Estados Unidos da América do século XIX, e sobretudo, ainda é possível visitar os marcos da baleação, tais como a antiga fábrica baleeira, a vigia da Queimada e o Museu dos Baleeiros, qualquer um num raio inferior a 1km da base Espaço Talassa.
Sim, para as famílias propomos uma viagem especial, Baleias em família. Para os mais desastrados, existe um centro de saúde a alguns metros da nossa base. Dispomos igualmente de um serviço de babysitting para crianças até aos 6 anos de idade. Na nossa base encontrará kayaks de mar para 2 pessoas, bicicletas todo-o-terreno, com assentos de criança, e ainda livros e filmes.
Não existe um melhor período de observação. A nossa actividade é condicionada sobretudo pelas condições climatéricas que são bastante adversas de Novembro até ao final de Março. Desde 1993 mantemos um registo estatístico das observações diárias por espécie. No mar existe sempre alguma coisa para ver: aves, tartarugas, tubarões,… Sob a decoração da mais alta montanha de Portugal, podemos afirmar que não são avistadas quaisquer espécies de cetáceos em menos de 1% do total das nossas saídas.
Passeios pedestres, visitas a museus, passeios a cavalo ou mergulho… Consulte a ficha técnica “Pico para além das Baleias
Whale’come ao Pico” foi projectado pela Alexandra, arquitecta e co-fundadora do Espaço Talassa. Trata-se de uma conjunto localizado ao lado da nossa base, e engloba uma velha casa de basalto renovada, com linhas contemporâneas, cores doces e muita tradição.
Sim, espaco talassa tem 3 outras possibilidades de alojamento, para localiza-las clique aqui.
Até um mês antes da chegada, será reembolsado a 100% das despesas efectuadas. A partir dessa data, não serão realizados quaisquer reembolsos. É importante assim saber se dispõe de um seguro de viagem que possa cobrir a anulação de viagem, o que é bastante comum caso tenha efectuado a reserva através de um cartão de crédito.
 
Sim. Em todo o caso poderá reservar uma ou mais saídas, conforme o caderno de reservas. Poderá consultar os horários e preços em “ Baleias e Golfinhos da Queimada
Não há nenhuma idade mínima legal; tudo depende da sua criança, da sua relação com a água e da sua capacidade para estar num lugar restrito (o barco) durante algumas horas. Entretanto, 6/7 anos parece ser a idade mais indicada para a primeira experiência com os cetáceos: a criança estará suficientemente desenvolvida fisicamente e poderá apreciar inteiramente esta reunião, completamente nova e privilegiada.
Não. É demasiado arriscado, para você e para o seu bébé. As condições marítimas nos Açores podem mudar rapidamente e o sonho pode transformar-se em pesadelo. Se a ondulação incomoda pouco os mamíferos marinhos, não é o caso do pequeno mamífero que você carrega!
Sim, mas recomendamos que reserve adiantado, porque não é fácil encontrar carros (especial de categoria baixa) durante os meses de Julho e Agosto.